sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

ALHO É MAIS SAÚDE

Alho com sabor a saúde
O alho envelhecido previne o coração de ataques cardíacos e pode combater as células cancerígenas responsáveis por vários tipos de tumores.

Recuamos no tempo para lembrar que já as civilizações egípcias, romana ou chinesa utilizavam o alho, de forma terapêutica, para combater uma larga variedade de doenças.


Apesar do odor e sabor característicos, esta planta, de nome científico Allium sativum, sempre foi mais do que um simples ingrediente culinário. Daí que a Food and Drug Administration (FDA), nos EUA, e a própria legislação da União Europeia tenham procurado facilitar a sua entrada no mercado europeu como produto medicinal. Devido aos benefícios que apresenta para a saúde, o alho esteve também no centro da mesa de um Simpósio Internacional realizado em Washington, no mês de Março, com o tema: Importância do Alho e dos seus Constituintes no Cancro e Doença Cardiovascular. Entre estudos e apresentações, os investigadores deram ao extracto de alho envelhecido o papel principal.

Alho – quanto mais velho…

O alho cru, ao ser mastigado, liberta um composto oxidante chamado alicina. O que significa que um consumo de grandes quantidades de alho pode conduzir a uma oxidação das células, revelando-se prejudicial para o organismo. O mesmo não acontece com o alho envelhecido, que, para além de não possuir odor nem cheiro, passa por um processo que lhe fornece compostos com propriedades antioxidantes para a saúde.


Alho faz bater o coração
Para além de diminuir o nível de triglicéridos, de homocisteína (composto que, quando em excesso no sangue, contribui para o desenvolvimento da doença cardíaca) e do mau colesterol, os investigadores da Universidade de Califórnia, Los Angeles, revelaram que o extracto de alho envelhecido impede a acumulação de placa nas artérias coronárias – um "sinal" de aterosclerose. Esta doença cardiovascular surge quando a gordura se começa a acumular na parede das artérias, dando lugar a placas de ateroma compostas essencialmente por colesterol. Quanto maior for o nível de LDL (mau colesterol), maior será o risco de aterosclerose e de ataque de coração.
Num outro estudo apresentado, mostrou-se uma inibição da agregação plaquetária pelo extracto de alho envelhecido através da sua influência nos níveis de cálcio.


Na luta contra o cancro
Estimativas da Agência Internacional para a Pesquisa de Cancro (IARC) apontam para mais de 10 milhões de novos casos de cancro a nível mundial (5,3 milhões entre homens e 4,7 entre mulheres).

Os resultados dos estudos que relacionam alho e cancro são, por isso, considerados de extrema importância, na medida em que podem significar mais esperança de vida.
Para além de poder prevenir complicações da diabetes, diminuição das capacidades mentais, e possuir efeito terapêutico em situações de anemia, o potencial antioxidante do alho, mais precisamente dos seus compostos sulfurados, foi também revelado no combate e prevenção de células cancerígenas.


"Extracto de alho envelhecido reduz a invasão e propagação das células cancerígenas do cólon, bem como a proliferação e formação das células endoteliais. Ao inibir a antigiogénese, demonstra um efeito preventivo no crescimento do cancro", apontaram investigadores da Universidade de Osaka. 
Os seis cancros mais mortais representam 60% das mortes por cancro
Homem
Mulher
Pulmão
810 419 
Mama
372 969
Estômago
405 215
Pulmão
292 700
Fígado
383 593
Estômago
241 352
Esófago
254 816
Colorrectal
237 595
Colorrectal
226 901
Útero
233 372
Próstata
204 313
Fígado
164 961